Vibrador de Imersão: boa vibrações para sua obra!

Para escolher o vibradores de imersão que melhor se adeque à sua obra é preciso conhecer suas características, pois existem no mercado diversos modelos de máquinas. Eles podem ser portáteis, com frequência controlada, motor interno ou externo, movidos a energia elétrica, combustão ou pneumáticos, ter peso entre 4 e 45 kg e possuir diferentes medidas da agulha, atributo este que afetará na potência, amplitude e raio de ação. Veja neste post os tipos de vibrador de imersão disponíveis, a diferença entre eles, e tenha boas vibrações em sua obra!

Vibrador de imersão: propagando ondas

vibrador de imersão é composto por motor e mangote. O mangote, por sua vez, é formado por mangueira e cabeça vibrante, também conhecida por agulha ou garrafa. Ao ser inserida no concreto fresco, a agulha, emite ondas (oscilações) geradas por um eixo excêntrico giratório (ou pêndulo) localizado dentro dela.

Frequência, amplitude e raio de ação (influência)

A frequência – número de rotações ou vibrações por minutos – e a amplitude – deslocamento máximo do elemento vibrador a partir do seu ponto de origem – definem as vibrações e a intensidade do equipamento, que deve ser escolhido de acordo com as características do concreto e da área a ser concretada. A amplitude define a intensidade de cada golpe e a frequência a quantidade de golpes recebidos pela massa e, quanto maior a frequência, menor a amplitude. A frequência de vibração geralmente utilizada está entre 8.000 e 15.000 vibrações por minuto (vpm), no entanto vibradores de alta frequência podem chegar a 20.000 vpm.  Quanto à amplitude, a variação será entre 0,04 e 0,20 cm. A amplitude atinge mais os componentes maiores do concreto, enquanto a frequência as partículas menores (parte pastosa). Por isso, para adensar concreto com maior teor de argamassa, e portanto com partículas mais finas, prefira instrumentos de alta frequência. Já misturas secas e ásperas, necessitam de aparelho com maior amplitude e frequência reduzida. Mas saiba que os gastos com a manutenção são mais altos e a vida útil menor para os equipamentos maiores e com frequência mais elevada.

vibrações geradas pela agulha. Dessa forma, os pontos de aplicação do vibrador de imersão devem estar distantes de 6 à 10 vezes a medida do diâmetro da agulha, por exemplo, para agulhas com diâmetro de 35 a 45mm, a distância deve ser de 25 a 35 cm.

Medidas da agulha e mangueira

Existem diversos diâmetros de agulhas disponíveis, que devem ser escolhidos de acordo com a densidade do concreto e atividade pretendida para se obter um trabalho eficiente.

Ponteiras de maior diâmetro são indicadas para estruturas mais robustas, como sapatas e vigas mestras, já os de menor diâmetro para estruturas estreitas, alguns exemplos são lajes e colunas. As agulhas ou garrafas vibratórias estão disponíveis com diâmetro de 20 à 175 mm e as mangueiras podem ter também diâmetros diferentes e comprimento de 1m até 10 metros. Confira, na tabela abaixo, a relação entre a medida da agulha, frequência, amplitude e raio de interferência:

Tipos de motor e alimentação do vibrador de imersão

Os vibradores de imersão podem possuir motores internos ou externos. Nos vibradores de motor interno ele se encontra localizado dentro da agulha e mangueira serve apenas para passar o fio que ligará a ponteira à fonte de energia. Possuem, geralmente, mangueira mais flexíveis e são mais caros que o com motor externo, no entanto possui manutenção mais barata pelo fato do motor ficar protegido da poeira e do concreto.

Os modelos com motor externo são os mais utilizados e geralmente são mais baratos e versáteis. Estão disponíveis em várias versões, com tipos diferentes de motor, diâmetro da agulha e mangueira. Nestes equipamentos, o movimento do excêntrico é gerado pelo motor e transmitido através da mangueira. Quanto à fonte de alimentação, podem ser elétricos, à combustível ou pneumáticos.

Os tipos elétricos, comuns ou portáteis, podem ser à bateria, monofásicos ou trifásicos. São leves e necessitam, para ser operados, de apenas um trabalhador. Indicados, normalmente, para obras que precisam de vários diâmetros de vibradores, pois um único conversor pode ativar até quatro vibradores, que podem possuir diâmetros diferentes.

Os movidos à combustível, podem ser a diesel ou gasolina. É mais pesado, por necessitar de um tanque para armazenar o combustível, e indicados para ambientes externos ou em que o acesso à pontos de energia sejam escassos ou de difícil.

Os vibradores pneumáticos são ligados a compressores de ar, de pistão ou parafuso, e são uma boa alternativa para construções onde já existe esse equipamento disponível.

O vibrador mais indicado, quanto à forma de alimentação, dependerá do tipo de energia disponível no canteiro de obras, já que possuem desempenho parecidos.

Dicas para o adensamento com vibrador de imersão

Ao fazer o adensamento do concreto com um vibrador de imersão, preste atenção em algumas dicas:

A espessura da camada de concreto não deve ultrapassar 3/4 do comprimento da agulha, que deve ser imersa e retirada de forma lenta, com o aparelho em funcionamento e na posição vertical;

O tempo de imersão deve ser de 5 a 15 segundos, podendo ser maior de acordo com a consistência do concreto;

– Evite o contato da agulha com a forma;

– Ao vibrar o concreto em camadas, a agulha deve penetrar aproximadamente 10cm na camada anterior, para não comprometer a uniformidade;

– E por último, use sempre os equipamentos de proteção individuais (EPI’s) adequados.